II Concílio do Vaticano: Diálogos entre Paulo VI e Jean Guitton  
O mistério do concílio não se discernirá nunca completamente, "enquanto navegarmos no fluxo da história", escreveu o filósofo francês que foi «observador» do II Concílio do Vaticano. Ainda durante a primeira sessão desta assembleia, Jean Guitton questionou-se se poderia enviar crónicas para os jornais, "uma vez que fizera juramento de ser discreto?".  
II Concílio do Vaticano: O ecumenismo do cónego Geraldes Freire  
Numa época em que mal se falava de ecumenismo, este sacerdote natural da Diocese de Portalegre - Castelo Branco encontrou naquele quartel militar um subordinado que era pastor da Igreja Baptista e o com o qual "manteve cordeais relações durante bastante tempo, atitude pouco comum naquela época e já reveladora do seu espírito tolerante", escreveu João Ribeirinho Leal na revista «Humanitas»; Vol L (1958).  
II Concílio do Vaticano: O plano de atualização de D. David de Sousa no Funchal  
Quando se realizou o II Concílio do Vaticano (1962-65), o bispo da Diocese do Funchal (Ilha da Madeira) era D. David de Sousa. O prelado que esteve naquele território eclesial de 1957 a 1965 fez diversas reformas na diocese madeirense  
II Concílio do Vaticano: Recordar o carisma do cardeal António Ribeiro  
Depois de uma séria formação humanística, filosófica e teológica, o doutor António Ribeiro cedo foi lançado para a ribalta da Comunicação Social. De 1959 a 1964 apresenta, aos sábados, na RTP, o programa «Encruzilhadas da Vida», em que debate temas de atualidade, frequentemente sugeridos pelos próprios telespectadores. Nos três anos seguintes (1964/67) é o rosto do programa, no mesmo canal televisivo, «Dia do Senhor».  
II Concílio do Vaticano: O papel das mulheres nas sessões conciliares  
Quando se aproxima o Dia Internacional da Mulher (08 de março) convém recordar a presença feminina no II Concílio do Vaticano (1962-65). Nesta assembleia magna, convocada por João XXIII e continuada pelo seu sucessor, estiveram presentes vinte e três mulheres como auditoras. A 08 de setembro de 1964, o Papa Paulo VI anunciou, oficialmente, a novidade e no dia 25 do mesmo mês, entrou na Aula conciliar a primeira mulher, a francesa Marie-Louise Monnet .  
II Concílio do Vaticano: O barulho dos carrosséis e o cheiro a sardinha assada  
Correspondendo a um desejo expressamente manifestado pelos teólogos diretores e redatores foi criado, em Portugal, um grupo com a missão de assegurar a ligação com a direção central e com os assinantes da edição portuguesa. Nasceram assim os «amigos da Concilium», um grupo de pessoas convidadas individualmente pelos editores - onze padres ou religiosos e oito leigos - que se reuniram pela primeira vez a 31 de março de 1965.  
II Concílio do Vaticano: Quando acabou o clima de asfixia intelectual  
Dos livros mais censurados figuram os relativos à história da Igreja e à exegese bíblica. O Santo Ofício e a Comissão Bíblica (criada pelo Papa Leão XIII para promover os estudos nesta área) encarregaram-se de excluir da leitura importantes obras publicadas na última parte do século XIX e inícios do século passado. Questões vitais para a interpretação de determinados livros bíblicos (Pentateuco, Salmos, Isaías, Sinópticos e São João) eram sempre objeto de grande vigilância por parte dos responsáveis da Igreja.  
II Concílio do Vaticano: Autores ganharam nova vida literária  
Embora o II Concílio do Vaticano tenha encerrado no mês de dezembro de 1965, só no ano seguinte (14 de junho), se abria para muitos católicos uma nova época com a abolição do índice dos livros proibidos. Com esta medida, o Vaticano cumpria as palavras proféticas de João XXIII proferidas na abertura deste acontecimento magno da Igreja Católica.  
II Concílio do Vaticano: A inteligência e o carácter de D. Domingos Pinho de Brandão  
Frequentou o Seminário Maior do Porto, terminando o seu curso de Teologia na Universidade Gregoriana. Foi ordenado sacerdote em Roma, na Basílica de S. João de Latrão (1943). Depois de ter paroquiado na sua terra natal, foi escolhido para o exercício da Reitoria do Seminário Maior do Porto pelo então bispo do Porto, D. António Ferreira Gomes, que apostou no seu «carácter firme e transparente, inteligência lúcida, dúctil e ativa...»  
II Concílio do Vaticano: Recordar o pensamento de D. Sebastião Soares de Resende  
A paróquia de Milheirós de Poiares (Diocese do Porto) vai homenagear, este sábado, D. Sebastião Soares de Resende, primeiro bispo da Beira (Moçambique) nos 50 anos da sua morte. Na sessão comemorativa, D. Carlos Azevedo, D. Augusto César, monsenhor Sebastião Brás e o padre Joaquim Teles dão testemunho desta figura da igreja portuguesa que participou ativamente no II Concílio do Vaticano.  
II Concílio do Vaticano: A sensibilidade ecuménica de João XXIII contagiou  
A plena integração da Igreja católica no movimento ecuménico mais amplo aconteceu no II Concílio do Vaticano. A questão ecuménica esteve presente desde o início na caminhada conciliar, muito devido à experiência e à sensibilidade do Papa João XXIII. A experiência diplomática em França, Grécia e Turquia do cardeal Angelo Giuseppe Roncalli (futuro Papa João XXIII) moldou a personalidade deste homem que convocou o II Concílio do Vaticano (1962-65)  
II Concílio do Vaticano: Mário Soares admirava Paulo VI e São Paulo  
Apesar de se confessar agnóstico, Mário Soares admirava o Papa Paulo VI porque "deu força ao Concílio" e acreditava "no amor ao estilo de S. Paulo". Estas declarações do antigo Presidente da República, que faleceu a 07 de janeiro de 2017, foram feitas à Agência ECCLESIA em abril de 2009, no Hospital de São João, no Porto.  
II Concílio do Vaticano: Afluentes conciliares nas águas do Mondego  
Durante vários anos, a pena de Manuel Augusto Rodrigues deu aos leitores do «Correio de Coimbra» o «intra» e o «extra» do II Concílio do Vaticano. Este insigne colaborador do jornal das terras do Mondego, faleceu a 15 de dezembro de 2016, mostrou aos leitores que, passados 50 anos, a assembleia magna convocada pelo Papa João XXIII e continuada pelo seu sucessor não morreu.  
II Concílio do Vaticano: O humanismo conciliar do «Premio Pessoa» de 1996  
Os documentos nascidos no II Concílio do Vaticano (1962-65) tiveram uma influência notória nos jovens portugueses dos anos sessenta do século passado. O médico e «Prémio Pessoa» de 1996, João Lobo Antunes, foi um desses jovens que respirou a primavera conciliar.  
II Concílio do Vaticano: A influência do «Pavilhão soviético» dos Dominicanos em Sá Carneiro  
Os textos emanados do II Concílio do Vaticano (1962-65) influenciaram o pensamento de Francisco Sá Carneiro (1934-80), mas os diálogos com dois frades dominicanos - Bernardo Domingues e Bento Domingues - ajudaram a moldar a personalidade interventiva deste advogado e político portuense.  
[+ notícias]  


CRONOLOGIA DO CONCÍLIO

 

Notícias



ABConcílio













© 2012 Agência Ecclesia. Todos os direitos reservados Webdesign e Programação: Manuel Costa